Cultura

08/09/2017 09:00

MAB recebe a exposição Cortejo para um novo Dois de Julho

e

O que dançarinos youtubers tem a ver com um retrato de Manoel Lopes Rodrigues? A proposta da exposição Cortejo para um novo Dois de Julho, de Alan Adi com curadoria de Uriel Bezerra, consiste em colocar em fricção passado e presente através das imagens, nesse caso, aquelas da cultura colonial/clássica da Bahia, geralmente encontradas no acervo do Museu de Arte da Bahia, e as imagens produzidas por fenômenos culturais contemporâneos, a exemplo de artistas baianos circulantes da web; crias da primeira geração pós-internet. O resultado desse diálogo tem em vista explorar um certo potencial utópico da cultura popular baiana, alegorizado pelo Dois de Julho, âncora dessa exposição. A abertura será na terça (12) com permanência até 30 de setembro com apoio da Secretária de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), através do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC).

Alan Adi - é artista visual e nos últimos anos pesquisa a condição do migrante nordestino, pesquisa esta que pontua sua produção recente e que já resultou em duas exposições individuais e um projeto contemplado pela Funarte com o qual produziu intervenções em três regiões do Brasil, ambos guiados pelo tema. Frequentemente atribui referências do cancioneiro popular brasileiro ao seu trabalho, sobretudo de artistas nordestinos, procurando visibilizar processos históricos sensíveis ao Nordeste através de traduções da poética da região. Entre participações em seleções, o artista foi premiado no III Prêmio EDP nas Artes do Instituto Tomie Ohtake, Prêmio BNB de Cultura e esteve entre os selecionados do Programa de Exposições 2016 do Centro Cultural São Paulo.

Uriel Bezerra (curadoria) - Formado em artes visuais pela Universidade Federal do Vale do São Francisco, hoje é pesquisador na área de teoria e história da arte pela Universidade Federal da Bahia. Investiga as Bienais da Bahia com foco nas imagens por elas produzidas. Frequentou em 2014 o Curso de Formação de Curadores, parte do projeto Escola/Museu Lina Bo Bardi do Museu de Arte Moderna da Bahia - MAM, durante a III Bienal da Bahia.

Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC) - Autarquia do Governo do Estado da Bahia, vinculado à Secretaria de Cultura (SecultBA), o IPAC coordena atualmente a proteção de 186 bens culturais na Bahia, sendo 100 em caráter definitivo e dois perímetros urbanos. Em 2017 o IPAC completará 50 anos de serviços prestados à história, à memória e à sociedade da Bahia, sendo referência no Brasil como órgão pioneiro no país em defesa dos bens culturais materiais e imateriais.

Serviço:

MAB recebe Exposição Cortejo para um novo Dois de Julho
Local: Laboratório de Experimentação Estética, Museu de Arte da Bahia, Avenida Sete de Setembro, 2340, Vitória. Salvador - BA
Data: Terça (12) a Sábado (30)
Horário: Ter a Sex das 13h às 19h |Sab e Dom das 14h às 18h
Entrada gratuito
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.