Fundo de Cultura

11/09/2017 15:40

Balé do Teatro Castro Alves abre programação do VI Festival de Dança Itacaré

S
Foto: Rana Tosto

O VI Festival de Dança Itacaré agita o circuito cultural do Sul da Bahia, de 13 a 23 de setembro, com 12 espetáculos, documentário, roda de conversa, oficinas e intervenções artísticas. O evento contará com dois palcos: Itacaré (13 a 17) e Ilhéus (22 e 23). O Balé do Teatro Castro Alves abre o festival, dia 13, no Centro Cultural Porto de Trás, Itacaré, com os espetáculos Dan, às 20h, e Generxs, às 20h30. As apresentações serão antecedidas pela conversa Políticas Públicas para a Dança, conduzida por Jacson Santos, às 16h, no Estúdio Armondes.

No mesmo espaço, acontece também a exibição do documentário Raimundos: Mestre King e as Figuras Masculinas da Dança na Bahia, dirigido pelo coreógrafo Bruno de Jesus, seguida da conversa Figuras Masculinas da Dança na Bahia, mediada pelo diretor, às 18 horas. Durante toda a programação, as apresentações serão intercaladas com a intervenção Transakrytca, uma #Ação Abre-Kaminho, da Lowcuradoria, antes e após cada espetáculo.

O evento é uma realização da Casa Ver Arte e Comunidade Tia Marita, com apoio financeiro do Governo do Estado, através do edital Eventos Culturais Calendarizados, do Fundo de Cultura da Bahia - Secretarias da Fazenda e de Cultura. Segundo o superintendente de Promoção Cultural da SecultBA, a linha de fomento, com validade de três anos,é voltada para eventos consolidados e permite a construção de um calendário cultural diversificado, garantindo aos realizadores estabilidade e possibilidade de planejar com tranquilidade as edições. “É interessante, pois os produtores podem planejar a programação, levando ao público atrações de qualidade, o que fortalece os empreendimentos e garante ao Estado maior visibilidade”.

Oficina - O segundo dia (14) começa com a oficina Agência de Rolês, ministrada por Thiago Costa, que se repete até sábado (16), sempre às 16 horas, no Centro Cultural Porto de Trás. À noite, entram em cena as montagens Toque de Guerra, com o Núcleo da Tribo e Nosso Lindo Balão Azul, do grupo Entretantas Conexão em Dança, 19 e 20 horas, no mesmo espaço.

A programação da sexta-feira (15) inclui os espetáculos Solus Híbridus, da companhia homônima e Asararas, do grupo Mangrove Tectactile & This is Not, 19 e 20 horas, no Centro Cultural Porto de Trás. No local, se repetem a oficina Agência de Rolês, 16 horas, e a intervenção Transakrytca, antes e depois das apresentações.

Sábado (16), o palco da dança será ocupado pelos espetáculos Mulata, da bailarina Wilemara Barros (Cia Dita), Solo Hibridus e Sentença, do grupo Misturarte, 19h, 19h30 e 20 horas, no centro cultural. No encerramento da etapa de Itacaré, domingo (17), o roteiro começa com a conversa Vivendo de Arte: Circuitos e Estratégias, dirigida por Felipe Assis, 16h, no Estúdio Armondes e termina com encenações do solo Pele de Foca, da bailarina Melissa Figueiredo, e do espetáculo Entrelinhas, do grupo Ponto Art, 19h e 20h, no centro cultural.

Ilhéus – Na semana seguinte (22 e 23), a produção do Festival de Dança Itacaré se desloca para Ilhéus, onde reapresenta o solo Mulata, da Cia Dita e o espetáculo ISTC, solo da bailarina Isaura Tupiniquim, dia 22, às 19h e 20h, no Teatro Municipal de Ilhéus.

No domingo (23), o escritor e diretor de teatro, Pawlo Cidade, ministra oficina sobre Produção Cultural, às 10h, na Academia de Letras. O último dia do festival será marcado pelas montagens O Crivo, do grupo Ateliê do Gesto e Da Própria Pele não há quem Fuja, encenada por ExperimentandoNus Cia. de Dança, também às 19h e 20h, no Teatro Municipal.

Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA) –
Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artístico-culturais baianas, o Fundo de Cultura é gerido pelas Secretarias da Cultura e da Fazenda. O mecanismo custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada. O FCBA está estruturado em 4 (quatro) linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação: Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; Eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Artística e Cultural e Editais Setoriais.

Serviço

VI Festival de Dança Itacaré
Realização: Casa Ver Arte e Comunidade Tia Marita.
Data: 13 a 17 de setembro (Itacaré) – Centro Cultural Porto de Trás e Estúdio Armondes.
22 e 23 de setembro (Ilhéus) – Teatro Municipal e Academia de Letras.
Entrada gratuita

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.