Perfis

04/10/2017 14:30

Cultura em Movimento - Perfil: Denise Di Santos

d

Nome: Denise Di Santos
Idade: 66 anos
Profissão: Arte educadora

Pedagoga, autodidata e militante pela liberdade de criar, Denise Batista dos Santos, conhecida como Denise Di Santos nasceu em Tom Zé de Irará. Seu amor por arte vem de berço, pois sua mãe sempre buscou criar uma infância para suas filhas com muitas fantasias. “Na escola eu já brincava de teatro de bonecos, era uma atriz amadora. Nasci em meios as bonecas, minha mãe era uma bonequeira, ela fazia desde pequena e aprendi. Até para circo eu já tentei fugi... Eu fazia bonecos de papel chamava minhas amigas para assistirem e cobrava por isso”. Aos 9 anos veio morar na capital, ajudava sua família a ganhar a vida em Salvador e como boa parte dos jovens entrou para o grupo de teatro da igreja, onde conheceu seu primeiro diretor, Tiago Lima, o que possibilitou vários trabalhos que te ajudaram a crescer profissionalmente. Já adulta, após casar-se foi morar em Brasília, mas nunca deixou de fazer Teatro de Bonecos, divulgando esta forma de arte por onde passa. Em 1975 volta para Bahia e começa trabalhar com educação e teatro de boneco, sendo chamada para fazer um grande projeto no Pelourinho por volta de 1982, “Os doces da Rainha”, baseado em um capitulo da obra Alice no país das maravilhas. Neste mesmo período conheceu Gil Teixeira, que foi passando de aluno, monitor, assistente e hoje é seu diretor. Junto a Elias Bonfim, Evandro Nere, Ismine Lima, Gil Teixeira, Noli Silva e Piter Leão fundam a Associação de Teatro de Bonecos em setembro de 1985. Quatro anos depois nasce o Teatro Lambe-Lambe junto à peça que falava sobre a intimidade do parto. “Eu e Ismine trazíamos o real e misturávamos com o lúdico. O parto é dolorido e maravilhoso ao mesmo tempo, precisávamos falar disso de uma forma criativa e diferente. Participamos de festivais até internacionais, essa técnica está espalhada pelo mundo inteiro, muito gratificante”. Denise define o lambe-lambe como uma caixa de mistérios, cabendo vários mundos, cheios de argumentos e sínteses, a artista revela que apreciou muitos sentimentos como medo do novo, expectativa, pertencimento e vontade de agradar ao público. E assim, usando muitos encantos, ensinamentos, aprendizados, criatividade e ludicidade, Denise di Santos mostra os diversos mundos que uma caixa pode guardar e revelar.

Confira outros perfis da série Cultura em Movimento

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.