Fundo de Cultura

06/10/2017 10:40

Museu de Sento Sé já está aberto com Plano Museológico

e

O Museu de Sento Sé (Rua Theodulo Albuquerque, 44, Centro), na cidade de mesmo nome localizada a 698 km de Salvador, está aberto com Plano Museológico para visitação graças à política pública do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC) da Secretaria de Cultura (SecultBA) e recursos do Fundo de Cultura. A proponente do projeto inscrito nos Editais de Museus/IPAC, Maria do Socorro Reis Miranda (Tia Soca), coleciona centenas de objetos de famílias do município. “Além do Plano Museológico, que cria e estabelece etapas de funcionamento de um espaço museal, fizemos o arrolamento tipológico (levantamento) do grande acervo”, afirma a museóloga e consultora, Simone Trindade, contratada do projeto. Segundo ela, a próxima etapa será a proponente providenciar a criação de um Conselho Curador para institucionalizar o museu.

“Também fizemos painéis com dados, desde a época indígena, passando pela colonização portuguesa, o contexto arqueológico da região, até os dias atuais”, diz Simone. Ela explica que foi criada exposição itinerante como ação educativa para escolas, para dar conhecimento público do museu e estimular os professores e estudantes a frequentar o local. A casa de Tia Soca, onde está o museu, detém 250m² de área. Antes conhecido como ‘Acervo Cultural Né Balaio’ o conjunto reúne mais de mil objetos. O espaço será utilizado como referência de história, cultura, aprendizado e memória. “Para perpetuar é fundamental que a coleção fosse musealizada, institucionalizada, tornando-se um espaço profissional”, completa a proponente Tia Soca.

Com a temática-título de ‘Um Rio de Memórias’, o museu mostra como as pessoas viviam na antiga Sento Sé. Objetos arqueológicos indígenas, itens de couro, utensílios de mesa e cozinha, como bules, canecas e até porcelanas de várias partes do mundo, são alguns deles. Modos de vida, matérias primas, relações comerciais, fauna e flora regionais, tradições culinárias, crenças religiosas, também estão presentes. O projeto inscrito nos Editais do IPAC oferece ainda curso de capacitação para professores, com material didático e folder do museu.

Localizada no norte da Bahia, a cidade foi fundada na primeira metade do século XIX, em 1832. Na década de 1970, a cidade foi inundada com a construção da Barragem de Sobradinho. A atual está às margens do Rio Francisco. Como outras cidades que submergiram nesse processo de desterritorialização, seus antigos habitantes sofreram um profundo impacto psicológico.  Para a nova cidade, planejada e construída pelo governo federal, distante 62 km do antigo local, foram transpostos os moradores da velha sede a partir de 1976.

Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA) – Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artístico-culturais baianas, o Fundo de Cultura é gerido pelas Secretarias da Cultura e da Fazenda. O mecanismo custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada. O FCBA está estruturado em 4 (quatro) linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação: Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; Eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Artística e Cultural e Editais Setoriais.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.