Carnaval 2018

13/02/2018 18:10

Carnaval do Pelô fortalece tradição dos festejos de rua

f
Foto: Alexandra Martins Costa

A tarde nem bem começou e o Carnaval de Rua do Pelô já estava fervendo, com a animação dos adultos e crianças que acompanhavam a Fanfarra Mágica, comandada por Edd Bala. Pela primeira vez nas ruas do Pelô, o grupo traz a proposta de revelar a magia das memórias coletivas e afetivas presentes nas canções, principalmente nos clássicos. “Trazemos a linguagem lúdica. Não só a figura do palhaço, mas a linguagem da comunicação, da expressão facial, mas também elementos como as cores, máscaras e figurinos que permite o diálogo com o público, que está no chão, no mesmo nível do artista. Isso é maravilhoso”, revela Edd.

Durante cinco dias, as ruas do Pelô foram contagiadas por manifestações culturais das mais diversas. Teatro, batucada, frevo, percussão, filarmônica, escola de samba, maracatu, mascarados, literatura de cordel, poesia, um cenário marcado pela diversidade, reforçando a importância e necessidade de investimentos e manutenção da tradição momesca nas ruas, no chão. “O Carnaval do Pelô é o carnaval mais democrático que existe, sem cordas com os grupos que sobem e descem nas ruas do Pelourinho mostrando uma ludicidade que pouco se vê nos outros circuitos”, declara a secretária de Cultura, Arany Santana.

“Aqui nas ruas do Pelourinho a gente consegue ter o contato com atrações que às vezes até se perde porque não tem espaço, não cabe nos palcos, nos trios. Então, é bom que isso se mantenha vivo. É bom que tenha esse lugar”, destaca o folião Rafael Cunha, acompanhado de seu filho Miguel de sete anos.
 
g
Foto: Mariana Campos

Por falar em tradição, quem também animou a brincadeira na tarde desse último dia de Carnaval no Pelô foi o grupo Pierrot Tradição de Plataforma, que desfilava em companhia da banda de sopro Xarangool. Originalmente o grupo tem mais de 100 membros e 60 anos de história, como revelou Jean Carlos, atual presidente. “Somos a resistência do Carnaval de chão e lutamos para não deixar morrer essa tradição. É gratificante a receptividade do público aqui, e é que sentimentos nesses 13 anos de apresentação e brincadeira aqui no Pelourinho”.

Ainda marcam presença nas ruas durante essa terça-feira de Carnaval os grupos Encontro Percussivo de Tambores do Mundo, Maracatu ventos de Ouro, Folia de Momo, Cia de teatro da Bahia, Oficina de frevos e Dobrados, Filó Brincante e muito mais.


CARNAVAL DA CULTURA
O Carnaval da Cultura é o carnaval da democracia e da diversidade e do folião pipoca, que leva para as ruas, durante todos os dias e circuitos da folia, a mistura de ritmos e gêneros musicais e, principalmente, a estética e a arte de diferentes artistas, grupos e entidades culturais da Bahia. São centenas de atrações e shows gratuitos de afoxé, samba, reggae, axé, pop, MPB, fanfarras e muito mais. É diversão garantida para todos os gostos e estilos no espaço público da rua para alegria do folião. O Carnaval da Cultura – uma realização da Secretaria da Cultura do Estado da Bahia, por meio do Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI) – está organizado a partir de quatro programas: Carnaval do Pelô, Carnaval Pipoca e Carnaval Ouro Negro. A programação completa de nossa festa está disponível nos sites www.cultura.ba.gov.br e www.carnaval.bahia.com.br.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.