Fundo de Cultura

05/02/2019 11:10

Gamboa Nova une tradições, música e performance na programação de fevereiro

s
Foto: Divulgação

Em fevereiro, o Teatro Gamboa Nova, localizado nos Aflitos, em Salvador, acompanha o ritmo do verão soteropolitano e prepara uma temporada com muita musicalidade, irreverência e um toque das tradições baianas e nordestinas. O teatro é uma das instituições apoiadas pelo Fundo de Cultura da Bahia, por meio do Edital de Apoio a Ações Continuadas de Instituições Culturais.

A programação traz na quarta-feira (06) e quinta-feira (07), às 19h, o show do Trio ao Vento, com influências do jazz e do rock, somados aos ritmos nordestinos. Formado por Ângelo Rosário no baixo, Marcus Menezes no teclado e Allan Villas Bôas na bateria, o grupo abre um leque de possibilidades musicais em conjunto com a singularidade de cada integrante. Prioriza sempre a melodia e abre espaço para improvisos, num repertório rico em ritmos brasileiros e fusões com outros gêneros.
“Tem jazz, mas não é jazz, tem samba, mas não é samba”, citou Allan, baterista, referindo-se à canção Vôo pro Recife – primeira música de trabalho do Trio ao Vento. O arranjo se mescla entre o frevo, o samba, cheio de improvisações, abrindo um espaço que flerta com o jazzistico e o sotaque musical brasileiro. O som soa vibrante, visceral, por vezes frenético, onde cada integrante imprime sua musicalidade.

Em única apresentação, sábado (09), às 19h, o músico Ian Cardoso sobe ao palco para apresentar Reina, sua mais nova experimentação. Em um show inteiramente autoral, além das músicas do EP, estão presentes canções inéditas de Ian e outras gravadas em outros projetos dos quais participa. Já a partir de quarta-feira (13), Paula Lice dirige um elenco inteiro de performers drags soteropolitanas em Uma Janela para Elas, com diversão, música e cena. Mais uma vez no Teatro Gamboa Nova o espetáculo teatral, um texto original de Felipe Politano, tem sessões nas quartas, dias 13, 20 e 27, sempre às 19h.

Dando sequência, o show “Mandacaru – o sertão em nós” aborda as questões e os caminhos percorridos pelas pessoas que habitam a região nordeste do Brasil, através de canções de artistas de diversos estados desta região. Marca a chegada do artista paraibano Brunno Barboza ao cenário musical da Bahia, nos dias 14, 15 (quinta e sexta), às 19h, e 16 de fevereiro (sábado), às 16h e 19h.

No teatro, A Puta e o Palhaço, projeto de Cibele Marina com Zaca Oliveira com a participação do ator Diogo Lopes Filho. Fruto das implosões da atriz Cibele Marina e do artista plástico Zaca Oliveira, A Puta e O Palhaço - Universos de Solidão traz à tona a imensidão do vazio a partir do olhar de uma prostituta e um palhaço. Em cartaz no Gamboa Nova em única apresentação dia 08 de fevereiro (sexta), às 19h, com a participação do ator Diogo Lopes Filho.

Acontece também no domingo (17), com sessões às 16h e às 18h, Tibiras, do Coletivo das Liliths, que estreou com muito sucesso em janeiro. O espetáculo conta a história de Tibira, tupinambá assassinado em praça pública em São Luís do Maranhão em 1614, ato considerado o primeiro crime lgbtfobico registrado no período colonial do país.
Depois de lançar o livro de poesia erótica Ardor e Ardências, Inaê Sodré volta à cena com a transposição literária, do lírico para o drama, o que resultou em Ardor e Ardências: Teatro. As apresentações acontecem nos dias 22 e 23 de fevereiro (sexta e sábado), às 19h e também no dia 24 (domingo), às 17h. O livro trata das dimensões que fundam a humanidade: a poesia e o erotismo. “O ser humano passa pela faculdade de fantasiar. A fantasia, matéria- prima do erotismo e da literatura é o que nos difere da animalidade. É na fantasia que se dá a fusão da palavra com a carne” - revela Inaê.

Já o paulista Jorge Lampa, pesquisador, admirador e morador de terras baianas, faz única apresentação de seu show Solo, dia 21 de fevereiro (quinta), às 19h. É a segunda vez que o artista se apresenta no espaço, com o espetáculo que é fruto de trajetória de um bom tempo em busca da canção e suas interpretações.
Para quem ainda não prestigiou, fevereiro é o último mês da exposição Enegrarte, do artista uruguaio Jorge Cammarano, que tematiza as múltiplas dimensões da realidade social, focada do ponto de vista do trabalho e de suas relações e mediações com classe, raça e gênero. A visita aos desenhos é gratuita, das 16h às 19h, de quarta a sábado, e das 15h às 17h aos domingos, de 01 a 27 de fevereiro.

Por fim, para marcar o lançamento de sua segunda música autoral, o grupo Diva Box exibe em fevereiro no Gamboa Nova o clipe Acorda Pra Ver. A mostra faz parte do CineGamboa, que mostra pequenos vídeos antes das apresentações de quarta a domingo no espaço.

Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA) – Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artístico-culturais baianas, o Fundo de Cultura é gerido pelas Secretarias da Cultura e da Fazenda. O mecanismo custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada. O FCBA está estruturado em 4 (quatro) linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação: Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; Eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Artística e Cultural e Editais Setoriais.


Serviço:
O que: Ao Vento e ao Vivo - Trio ao Vento
Quando: 06 e 07/02/2019 (quarta e quinta) - 19h
Quanto: R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia com comprovante/ aceita cartão de débito e crédito) - bilheteria abre às 17h
Onde: Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima 03, Aflitos (atrás do Passeio Público, ao lado do quartel)
Informações: 71 3329 2418/ (71) 99128-4535 (Ângelo)
Duração: 60 minutos
Para saber mais: https://www.trioaovento.com/
Classificação: Livre


Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.