Fazcultura

13/08/2019 17:00

Ópera Lídia de Oxum abre inscrições para audições dos oito solistas

f

Foto: Reprodução Facebook / Memorial Lindembergue Cardoso



O mês de novembro, que marca as celebrações à consciência negra, também será um período para comemorar o retorno da Ópera Lídia de Oxum, a primeira ópera baiana. Criada por Ildásio Tavares e Lindembergue Cardoso, a mais recente montagem tem inscrições para a audição dos oito solistas abertas até 25 de agosto. 
Para participar, os interessados devem acessar o site www.colecaoildasiotavares.com.br e preencher a ficha de inscrição, enviando links de vídeo demonstrando o registro vocal.


Com coordenação geral de Ildazio Júnior e direção artística de Gil Vicente Tavares, filhos de Ildásio Tavares, que junto a Lindembergue Cardoso assina a obra, a montagem acontecerá de 21 a 23 de novembro, no Teatro Castro Alves, em Salvador.
O texto é uma demonstração da força do povo negro que retorna aos palcos baianos depois de 25 anos que foi montada. A ópera atravessa as décadas como um grito de resistência. São oito solistas, além de 60 coralistas, orquestra sinfônica, corpo de balé com 20 integrantes e 10 percussionistas para dar vida ao enredo, trazendo para o palco quase duas horas de puro encanto.


A ópera, apresentada pela primeira vez em 1994, no Palco Principal do Teatro Castro Alves, é considerada a primeira montagem do tipo no Brasil, em língua portuguesa, que trata da temática afro-brasileira. A remontagem em 2019 marca as comemorações dos 80 anos de Ildásio e Lindembergue, se estivessem vivos.


Entre os nomes confirmados participam do projeto Marcio Medina (cenografia), Jorge Silva (coreografia), Maestro Angelo Rafael (preparador vocal e regente do coro) e Maestro Carlos Prazeres (Orquestra Sinfônica da Bahia).


O projeto BAHIA AFRO BAHIA tem patrocínio da Cerveja Skol Puro Malte, por meio da Cervejaria Ambev, do Governo do Estado, por meio do Fazcultura, Secretaria de Cultura e Secretaria da Fazenda.

 

FAZCULTURA – Parceria entre a SecultBA e a Secretaria da Fazenda (Sefaz), o mecanismo integra o Sistema Estadual de Fomento à Cultura, composto também pelo Fundo de Cultura da Bahia (FCBA). O objetivo é promover ações de patrocínio cultural por meio de renúncia fiscal, contribuindo para estimular o desenvolvimento cultural da Bahia, ao tempo em que possibilita às empresas patrocinadoras associar sua imagem diretamente às ações culturais que considerem mais adequadas, levando em consideração que esse tipo de patrocínio conta atualmente com um expressivo apoio da opinião pública.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.