Fundo de Cultura

26/09/2019 15:30

Festival Nacional de Teatro Infantil realiza 12 dias de programação em Feira de Santana

f

O Palhaço de La Mancha |  Cacompanhia de Artes Cênicas / Foto: Jean Palladino


De 1 a 12 de outubro, o FENATIFS - Festival Nacional de Teatro Infantil de Feira de Santana realiza a 12ª edição do projeto, evento que condensa em 12 dias espetáculos teatrais,  circenses, de dança, teatro de animação, contação de histórias, recital de poesias, oficinas e ações voltadas para o público infantojuvenil. As atividades ocupam diversos espaços culturais da cidade, como o Teatro do Cuca, Museu Regional de Arte, Teatro Margarida Ribeiro, Teatro Sesc Centro, Teatro Ângela Oliveira, Museu de Arte Contemporânea, Centro de Artes e Esportes Unificados (Cidade Nova  e Jardim Acácia),  além de escolas, praças, asilos e orfanatos.

 

A programação contempla espetáculos de Alagoas, Distrito Federal, Paraná, Sergipe, São Paulo, Porto Alegre, Amazonas, Rio de Janeiro, Ceará e Bahia, além de oficinas, palestras, contação de histórias, workshops, mesa redonda e exposições. Com mais de 50 apresentações, o projeto conta com o apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia, e tem o intuito de movimentar, valorizar, debater e desenvolver o teatro para a infância e juventude, reunindo diferentes linguagens, com propostas diferenciadas para o público, permitindo o contato com a arte, muitas vezes, de forma inusitada.

 

Ao longo do evento serão apresentadas 4 mostras artísticas, Mostra Nacional, Mostra do Interior do Nordeste, Mostra Jovens Talentos e Mostra Mirim, com os grupos e artistas convidados e os selecionados através de edital de abrangência nacional. O Festival, já consolidado no cenário cultural brasileiro como um importante projeto de fomento e democratização do acesso às artes cênicas, oferece gratuidade para estudantes e professores da rede pública, idosos, pessoa com deficiência (PcD) e instituições sociais. Para os demais públicos, preços populares e promocionais.

 

No dia 1 de outubro, Maiuei - É do meu jeito (AL) abre o festival com uma apresentação às 19h. O espetáculo, da Turma do Biribinha, traz a tradição de palco e picadeiro, com o mestre na arte da palhaçaria no Brasil, Teófanes Silveira, o palhaço Biribinha.  Ainda na noite de abertura, às 20h, o festival homenageia Henrique Motté - patrono da Cia. Cuca de Teatro e dedicado incentivador das manifestações artísticas - e ao lado do Mestre Biribinha, fará a passagem do Troféu Fenatifs, que agora levará o nome do homenageado: Troféu Cultural Henrique Motté - entregue a todos os grupos participantes como símbolo de reconhecimento do fazer artístico. O Fala Fenatifs encerra a noite com o tema “O que será de nós” e proporciona ao público um momento de debate e reflexão com Teófanes Silveira. Toda a programação de abertura acontece no Teatro do Cuca.

 

O segundo dia de festival, 2/10, é reservado para a MOSTRA MIRIM, que incentiva o teatro protagonizado por crianças ligadas a escolas e instituições públicas ou privadas do município de Feira de Santana e seus distritos, bem como dos Municípios que compõem o Território Portal do Sertão. A Mostra, que será das 14h às 17h, no Teatro do Cuca, terá apresentações teatrais, show musical e recital de poesia. 

 

Nesta 12ª edição, o FENATIFS homenageia o artista Simão Cunha com a MOSTRA DE JOVENS TALENTOS que leva o seu nome. Neste recorte, os espetáculos selecionados ou convidados têm a maior parte do seu elenco formado por adolescentes e jovens entre 13 e 29 anos. O público poderá conferir a Tonto Tom Artes (PR) com Romeu e Julieta -  espetáculo Inspirado na obra de Ruth Rocha, no clássico de William Shakespeare e no poético “O Sortilégio da Mariposa” de Federico Garcia Lorca; Construção, espetáculo circense do Grupo Revolução Teatral (BA) –  livremente inspirado no dia a dia dos operários da construção Civil, seus conflitos, peripécias e contradições colocados em cena por meio da linguagem do teatro-circo; LEMdanças, do Coletivo LemDanças (BA) que propõe uma junção de linguagens artísticas para reavivar nossas memórias; O Mágico de Oz, do Grupo Teatral Preta (BA), que soma 12 anos de experiência na cena baiana atuando na dimensão das artes cênicas e produção cultural; o Grupo Eureka (BA), com a peça Ciranda, uma aventura folclórica, que retrata uma discussão entre os personagens – lendas folclóricas – sobre o esquecimento das brincadeiras infantis, das cantigas de roda e boa parte do acervo do folclore brasileiro; o Espetáculo Grão Circo do Nucca - Núcleo Circense Cia. Cuca de Teatro (BA) traz a alegria e o vigor de jovens artistas disseminadores da tradição circense, com números de grande impacto, utilizando o trapézio, monociclo, malabarismo, arame bambo, contorção e a perna de pau.

 

No recorte da MOSTRA NACIONAL foram selecionados para se apresentar no festival grupos de todo o Brasil cujo trabalho seja destinado ao público infantojuvenil. São eles: Junho: uma aventura imaginária do Coletivo Nômade de Teatro e Pesquisa Cênica (RS), que tem trabalhos que versam sobre Literatura e Transposição Cênica, o diálogo entre História e Dramaturgia e a construção dramatúrgica do Teatro Documentário; Cinderela lá lá lá da Cia. Le Plat du Jour (SP), companhia que nasceu em Paris em 1992 e atua há 27 anos em São Paulo e traz uma linguagem diferenciada na adaptação dos contos tradicionais da literatura infantil para teatro; Pinóquio da Cia Abração (PR), grupo que tem como proposta principal a pesquisa e produção teatral para todas as idades, utilizando de linguagens artísticas de diversas áreas; João, o alfaiate: um herói inusitado da Cia Etc e Tal (RJ), que traz uma linguagem própria e aprofundada sobre a mímica e a comicidade; O palhaço de La Mancha da Cacompanhia de Artes Cênicas (AM),  grupo manauense que apresenta neste espetáculo de rua a história de quatro palhaços que após a leitura de livros de Miguel de Cervantes saem por aí, contando a história de um tal palhaço de La Mancha; O Barão nas árvores, uma contação de histórias do Coletivo Duo (BA),  que mistura teatro e música com elementos como brincadeiras e as manifestações da cultura popular nordestina; 2 mundos da Cia Lumiato Teatro de Formas Animadas (DF), grupo criado na Argentina e com forte trajetória no centro-oeste do Brasil, que apresenta o teatro de sombras nesta peça inspirada na colonização da América e dos territórios do mundo; Os Cavaleiros da Triste Figura do Grupo Teatral Boca de Cena (SE), livremente inspirado em Dom Quixote de La Mancha - a história extrapola a literatura quando um grupo de atuadores, em praça pública, insiste em instaurar suas histórias para transformar o mundo; O circo de um homem só do Núcleo Circo Único (BA) - espetáculo circense e de rua, composto de reprises autorais, executado por um palhaço que decide realizar sozinho um espetáculo de circo completo. 

 

Já a MOSTRA DO INTERIOR DO NORDESTE  é composta por grupos nordestinos também com trabalhos voltados para a temática infantojuvenil. O público presente no festival terá a oportunidade de ver o espetáculo cênico-musical Mamulengofolia ou o Vendedor de sonhos da Oficarte Teatro & Cia (CE) que funde as linguagens do teatro de rua com a tradição dos bonecos e folguedos populares, inspirado na literatura de cordel; a Trup Errante (BA) com Estelita entre fadas e outros bichos, uma contação de história com técnicas da palhaçaria, onde a personagem incentiva crianças de todas as idades à buscarem seus objetivos; A peleja de Maria Bonitinha da Cia Cuca de Teatro (BA) – a peça fala do respeito às diferenças e resgata a força da cultura popular ao contar a história de Maria Bonitinha, a menina do sertão; e por fim  MAIUEI - É do meu jeito! da Cia. Teatral Turma do Biribinha (AL), com sua apresentação reservada para a noite de abertura.

 

Paralelo à grade de programação artística, o Festival promoverá  os workshops “A linguagem do teatro de sombras brasileiro” com Cia Lumiato e “INvencionando o  Movimento” com Kadu Fragoso do Coletivo LEMdanças; o Circuito  “Cantos Que Contam”  com Neide Kocca , João Jesus e convidados -Cia Cuca de Teatro; as oficina “ Realidade Mímica” e “Histórias de Humor” com o Grupo Etc. e Tal; o momento FALAFENATIFS com os temas “O Teatro para a infância e juventude no Século XXI”  e “Jovens em Re-volução”; e o COFENATIFS – Encontro de  Grupos e Artistas. 

 


Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA) – Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artístico-culturais baianas, o Fundo de Cultura é gerido pelas Secretarias da Cultura e da Fazenda. O mecanismo custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada. O FCBA está estruturado em 4 (quatro) linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação:  Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; Eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Cultural e Editais Setoriais. Para mais informações, acesse: www.cultura.ba.gov.br

                                                                      

SERVIÇO

 

O quê: 12ª edição FENATIFS - Festival Nacional de Teatro Infantil de Feira de Santana

Data: 1 a 12 de outubro

Acesso: R$36 (inteira) e R$18 (meia promocional para adultos)  | Especial Dia da Criança: R$10 (inteira) e R$5 (Meia) + 1 kg de alimento estocável  | Apresentações solidárias: 1 kg de alimento estocável. 

Escola Pública não paga: agendamento prévio através do link: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfniFbMXEXFJjL7hufdMnOEvspu630ZQXBFE_lZvqBspnnyhQ/viewform?usp=pp_url

 

Programação completa

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.