Fundo de Cultura

27/09/2019 10:50

EPA promove 10 oficinas e oito espetáculos destacando a tradição afro

s
Foto: Alice Rodrigues

Um mergulho nas danças sociais e nas danças de rua. É com essa energia que será aberta a programação gratuita da 3ª edição do Encontro Periférico de Artes - EPA – que será realizado no período de 01 a 06 de outubro. No total, o Epa promove 10 oficinas e oito espetáculos de dança. Todos com a temática da tradição afro.

O Encontro Periférico de Artes
– EPA! tem apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda, Fundação Cultural do Estado da Bahia e Secretaria de Cultura da Bahia.  O encontro é idealizado pela ExperimentandoNUS, companhia que atua e produz dança de forma independente e ininterrupta há 11 anos no estado da Bahia.

“Toda programação foi desenhada e costurada pensando na perspectiva da ancestralidade. A ancestralidade pode ter diversos caminhos, pautada no passado, presente e futuro. Então toda programação tem algo relacionado a essa temporalidade: a gente aprende com os mais velhos, estamos no presente, mas aprendemos com o futuro”, explicou a bailarina e produtora cultural, Inah Irenam.

Abertura
– A abertura oficial será no dia 02 de outubro, às 19h, no Teatro Gregório de Matos. A primeira apresentação é o espetáculo “Baile”, do grupo baiano Cia Baile. A performance traz o cotidiano, a expressão, o símbolo e as movimentações que manifestam seu particular diálogo com a vida. Tudo tem a ver com a ancestralidade presente e que resiste no corpo.

Mas não é só a Cia do Baile que vai trazer as raízes da cultura afro ao palco. Por meio de suas canções, danças e fantasias, a segunda atração da noite será o Malê Debalê. O bloco dissemina a sua luta contra o racismo e defende a ocupação de espaços pelo povo negro.

Além de apresentar as tradições ancestrais, o Malê tem capacidade de inovar e mudar suas atitudes, adequando se aos momentos vividos pela sociedade atual. Isso significa que a noite será muito especial.

Espetáculos
– Um dos espetáculos que integra a programação do EPA é a montagem da Karma Círculus “Joãozinho da Gomeia: De filho do tempo a Rei do Candomblé” conta a história do mais importante babalorixá da história do Brasil. Foi Joãozinho que popularizou o candomblé no Brasil, por meio da dança. Era considerado um homem a frente de seu tempo que não se envergonhava de ser homossexual e pai-de-santo que afrontava os princípios de que homens não podiam “receber” o Orixá em público. A montagem resgata uma história pouco conhecida, mas de extrema importância para a cultura afro-brasileira. O espetáculo será apresentado no dia 05 de outubro, às 19h, no Teatro Gregório de Mattos.

“Nesta edição do EPA! Encontro Periférico de Artes é de encantamento e olhares para os nosso povo preto. Nossas artes negras e de periferia tem histórias, do mais velho ao mais novo. Uma celebração de expansão política e festiva com várias linguagens artísticas dialogando com as periferias e artes negras da Bahia, Rio de Janeiro e Ceará”, diretor e coreógrafo Bruno de Jesus.

Oficinas –
Além das performances que contam a história afro-brasileira, o EPA realiza diversas oficinas, que também são gratuitas. A abertura oficial será realizada no dia 02 de outubro, mas as oficinas serão iniciadas já no dia 01.
São atividades de stencil, que visa a técnica de cortes com estilete; oficinas literárias; oficinas de percussão corporal, oficina de dança, entre outras.
Para participar das oficinas não é necessário realizar inscrições prévias. Basta apenas ir ao local em uma das datas e fazer parte de uma das atividades disponíveis. 

Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA) – Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artístico-culturais baianas, o Fundo de Cultura é gerido pelas Secretarias da Cultura e da Fazenda. O mecanismo custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada. O FCBA está estruturado em 4 (quatro) linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação: Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; Eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Cultural e Editais Setoriais.

Programação Espetáculos

Baile | Cia Baile (BA)
Serviço:
Artista: Cia Baile
O que é: Dança
Local: Teatro Gregório de Mattos
Dia: 02/10 (Quarta)
Horário: 19h
Entrada Gratuita (Ingressos disponíveis a partir das 17h na bilheteria do teatro no dia da apresentação)
Sinopse: “BAILE” é um mergulho nas danças sociais e elementos das danças de rua. É o cotidiano, expressão, símbolo e movimentações que manifestam seu particular diálogo com a vida. São passos da verdadeira ânsia de gritar e transbordar ao encontro de uma história ancestral presente e que resiste no corpo.

Malê Debalê (BA)
Serviço:
Artista: Malê de Balê
O que é: Música
Local: Teatro Gregório de Mattos
Dia: 02/10 (Quarta)
Horário: 19h
Entrada Gratuita (Ingressos disponíveis a partir das 17h na bilheteria do teatro no dia da apresentação)

Por que, Zé? | ExperimentandoNUS Cia de Dança (BA)
Serviço:
Artista: ExperimentandoNUS Cia de Dança
O que é: Dança
Local: Teatro Gregório de Mattos
Dia: 03/10 (Quinta)
Horário: 19h
Entrada Gratuita (Ingressos disponíveis a partir das 17h na bilheteria do teatro no dia da apresentação)

 
CorpoCatimbó | Zé Viana Junior (CE)

Serviço:
Artista: ExperimentandoNUS Cia de Dança
O que é: Ritual Cênico
Local: Teatro Gregório de Mattos
Dia: 04/10 (Sexta)
Horário: 19h
Entrada Gratuita (Ingressos disponíveis a partir das 17h na bilheteria do teatro no dia da apresentação)
 
Joãozinho da Gomeia: De filho do tempo a Rei do Candomblé | KarmaCírculus Cia de Teatro (RJ)

Serviço:
Artista: Karmacírculus Cia De Teatro (Rj)
O que é: Teatro
Local: Teatro Gregório de Mattos
Dia: 05/10 (Sábado)
Horário: 19h
Entrada Gratuita (Ingressos disponíveis a partir das 17h na bilheteria do teatro no dia da apresentação)

Programação das oficinas


01 DE OUTUBRO

1-Oficina De Stencil | Estamparia Manual Com Stencils

Oficina prática e focada no ensino de técnicas de corte utilizando estiletes comuns para a produção de stencils.
Artista facilitador: Ramsestencil (Ba)
O que é: Oficina De Stencil | Estamparia Manual Com Stencils
Local: Centro Cultural Alagados
Dia: 01/10 (Terça)
Horário: 14h
Número de participantes: 10 a 15.
Faixa etária: A partir de 13 anos.

2-Oficina AFROFUTURISMO: A ESCRITA DE UM FUTURO NEGRO

A oficina Afrofuturismo: a escrita de um futuro negro visa através da utilização de contos de escritores(as) do gênero possibilitar a jovens negros e negras o acesso a um acervo literário  que tem como objetivo vislumbrar e defender o espaço do negro no futuro.
Artista facilitador: Davi Nunes (Ba)
O que é: Oficina de Desenho
Local: FUNDAC
Dia: 01/10 (Terça)
Horário: 9h as 11h
Específica para a FUNDAC

3-Oficina de Literatura Negra: caminhos para identidade
A oficina consistirá em leitura e discussão de textos em prosa ou versos de autores e autoras negras que reflitam sobre a identidade negra, culminando na produção e apresentação de textos.
Artista facilitador: Jairo Pinto (Ba)
O que é: Oficina de Literatura Negra
Local: Centro Cultural Alagados
Dia: 01/10 (Terça)
Horário: 9h às 11h30

03 DE OUTUBRO
4-Oficina de Percussão Corporal
A oficina pretende trabalhar noções rítmicas e corporal, assumindo o corpo como instrumento de produção sonora e musical.
Artista facilitador: Zé Viana Junior (CE)
O que é: Oficina de Percussão Corporal
Local: FUNDAC
Dia: 03/10 (Quinta)
Horário: 14h as 17h
Quantidade de participantes: até 25 pessoas
Específica para a FUNDAC

5- Oficina de Passinho
Com as bases mais famosas da cultura do passinho, entre rabiscadas e cruzadas para dançar o famoso passinho foda.
Artista facilitador: Iguinho Imperador (RJ)
O que é: Oficina de Passinho
Local: Espaço Xisto Bahia
Dia: 03/10 (Quinta)
Horário: 15h as 17h

04 DE OUTUBRO

6- Oficina Ai Meu Quadril ante-retro-versão

O quadril na dança com jogos coreográficos, em solturas de couraças emocionais principalmente na região pélvica e lombar. Explora possibilidades de mexer a pelve, trabalha os músculos paravertebrais, dorsais e flexores de quadril com ritmos populares brasileiros como pagofunk, arrocha, pagode e funk.
Artista facilitadora: Raina Santos
O que é: Oficina de dança
Local: Espaço Xisto Bahia
Dia: 04/10 (Sexta)
Horário: 10h as 12h

7 e 8 - Pagode Baiano + Oficina de Passinho
Karol Ribeiro (BA)

Karoline Ribeiro, professora e bailarina, técnica em dança pela Escola de Dança da Funceb, bacharela, licenciada e pós graduada em Dança pela Escola de Dança da UFBA.

Iguinho Imperador (RJ)
Dançarino e professor de Passinho Foda e Danças Urbanas

Artistas facilitadores: Karol Ribeiro (BA) + Iguinho Imperador (Ba)
O que é: Oficina de Pagode Baiano e Passinho
Local: Espaço Xisto Bahia
Dia: 04/10 (Sexta)
Horário: 15h as 17h

9- Oficina Ateliê de Contos
Por meio da oficina de escrita de contos, almeja-se o desprender-se das amarras mentais do medo de compor uma história por meio da linguagem escrita, assim como observar o uso de diferentes termos e expressões que os cursistas usarão para expressar seus sentimentos, desejos e identidades utilizando a literatura e ilustrações de capa de livros como rizoma para tais construções narrativas.

Artista facilitador: Ana Fátima (Ba)
O que é: Oficina Ateliê de Contos
Local: Centro Cultural Alagados
Dia: 04/10 (Sexta)
Horário: 14h as 17h
Entrada Gratuita

05 DE OUTUBRO

10- Oficina de Dança Afro
Desenvolve uma linguagem corporal contemporânea baseada na comunicação da estética e estereótipos da cultura afrodescendente.
Artista facilitador: Pakito Lázaro (Ba)
O que é: Oficina de Literatura Negra
Local: Praça da Sé
Dia: 05/10 (Sábado)
Horário: 09h as 11h
Entrada Gratuita

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.