Cultura

02/10/2019 16:59

Virada Sustentável confirma 15 espaços para realização de atividades e projetos

s
Foto: Tarlem Souza

Conectar pessoas e ocupar a cidade. Pensar e propor a sustentabilidade para além do meio ambiente, com uma visão positiva e inspiradora. A Virada Sustentável retorna a Salvador em novembro, dias08, 09 e 10, com o tema “O Centro Pulsa - a vida em movimentos”, propondo um resgate das raízes históricas e culturais de fundação da primeira capital do Brasil e de formação da sua gente. O edital para inscrição de projetos, que irão integrar a programação – inteiramente gratuita – está disponível até 11 de outubro, em www.viradasustentavel.org.br.

Em articulação com diversas instâncias da cidade, o Festival já confirmou 15 espaços, onde serão realizadas atividades culturais e de educação, palestras e rodas de conversa, oficinas de formação e capacitação, exposições, performances artísticas, apresentações de teatro, dança e circo, projeções de filmes, contação de estórias e shows, entre outras ações e projetos. Entre os locais estão o Palacete das Artes, o Museu de Arte da Bahia - MAB, o Centro Cultural Solar Ferrão, o Museu Tempostal, o Museu Abelardo Rodrigues, o Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica, Teatro Vila Velha, Passeio Público, Largo Tereza Batista, Largo Pedro Archanjo, Praça das Artes, Largo Quincas Berro D'Água, Praça da Sé, Centro de Culturas Populares e Identitárias e Quintal dos Índios.

Também já estão confirmadas as primeiras atrações musicais: o rappper mineiro Djonga, o multiartista paulista Novíssimo Edgar, e a Orquestra Reggae de Cachoeira – com participações de Freelion, da cantora e trombonista argentina Pali, e da nigeriana Okwei Odili. Os shows, assim como toda a programação da Virada, serão gratuitos, ocupando espaços públicos da cidade e, majoritariamente, o Centro Antigo. “O Festival irá reunir, ao menos, outras 15 atrações musicais, com a proposta de ocupar praças, ruas e, pelo menos, um grande palco e mais dois menores. E, afinado com o nosso tema este ano, a ideia é promover esse movimento de valorização e ocupação do Centro Antigo, fomentando também o resgate das nossas raízes históricas e culturais”, afirmou o coordenador geral do Festival, Maurício Galvão.

Ano passado, o Festival contou com dois dias de shows e as participações de Larissa Luz, ÀTTØØXXÁ, Tássia Reis, OQuadro, Pedro Pondé e Zuhri. Foram mais de 250 atividades promovidas, ocupando 50 espaços da cidade, de Itapuã a Cajazeiras, do Rio Vermelho ao Centro Histórico, do Subúrbio ao Santo Antônio Além do Carmo, passando pelo Solar do Unhão, Gamboa, Ladeira da Preguiça, Feira de São Joaquim, Federação, Morro do Gavazza, Barra e o Parque da Cidade, reunindo um público de mais de 45 mil pessoas.

“O nosso papel é esse: mobilizar e articular as diversas instâncias da cidade para promover o acesso irrestrito à cultura, a conteúdos e ao conhecimento. E, este ano, a ideia é ocupar ainda mais espaços e reunir um público maior para ocupar Salvador com gente e arte”, afirmou a gestora da Virada Sustentável Salvador, Alice Barreto.

A Virada - O Festival foi criado em 2011, em São Paulo. De lá pra cá, reuniu um público de mais de 7,7 milhões de pessoas em 25 edições, passando por sete estados e nove cidades, como Rio de Janeiro, Manaus e Porto Alegre, entre outras, além de Salvador - em 2016 e no ano passado.

Em sua 3ª edição na capital baiana, o Festival, via Lei de Incentivo à Cultura, tem o patrocínio da CMPC e Uber Eats, e o copatrocínio da Liberty Seguros. Conta também com o patrocínio do Governo do Estado, através do Fazcultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, apoio institucional da Prefeitura Municipal do Salvador, e a parceria do Salvador Meu Amor. A Virada Sustentável é uma correalização do Instituto Virada Sustentável e Rede AMO de Comunicações Socioculturais, realização da DaCultura Projetos e Soluções, e da Secretaria Especial da Cultura, Ministério da Cidadania e Governo Federal.

FAZCULTURA – Parceria entre a SecultBA e a Secretaria da Fazenda (Sefaz), o mecanismo integra o Sistema Estadual de Fomento à Cultura, composto também pelo Fundo de Cultura da Bahia (FCBA). O objetivo é promover ações de patrocínio cultural por meio de renúncia fiscal, contribuindo para estimular o desenvolvimento cultural da Bahia, ao tempo em que possibilita às empresas patrocinadoras associar sua imagem diretamente às ações culturais que considerem mais adequadas, levando em consideração que esse tipo de patrocínio conta atualmente com um expressivo apoio da opinião pública.


Serviço

Virada Sustentável Salvador 2019 – de 08 a 10 de novembro
Inscrições de projetos, ações e atividades | inscrição de parcerias ou voluntariado – até 11 de outubro
Edital disponível em: viradasustentavel.org.br
Gratuito

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.