Fazcultura

12/11/2019 16:00

6 mil pessoas assistiram aos shows do 5º Festival Radioca

G
Afrocidade / Foto: RafaelPassos



A comemoração dos cinco do Festival Radioca foi um sucesso. Em cinco dias, de 6 a 10 de novembro, o Teatro Castro Alves (TCA), a Arena do Teatro Sesc-Senac Pelourinho e a Chácara Baluarte receberam um total de 6 mil pessoas para assistir a 16 shows e ainda um papo musicado. Nada menos que 94 artistas subiram aos palcos desta edição, compartilhando com o público a experiência da diversidade da música brasileira. Emoções variadas diante de apresentações de identidades tão múltiplas quanto as plateias formadas.

 

Salvador pôde conferir atrações oriundas de seis estados do país, muitas delas inéditas na Bahia. Entre os muitos momentos marcantes, estão a presença inebriante do ícone João Donato ao lado de Tulipa Ruiz, num repertório que mesclou a carreira de ambos e incluiu clássicos como “A Rã”, “Chorou, Chorou”, “A Bruxa de Mentira” e “Emoriô”, e o show catártico de Céu, dominando a cena com uma cenografia especial e plateia já cantando junto todo o repertório de “APKÁ”, seu novo disco lançado em setembro. Também a emoção de Lazzo Matumbi, cantando pela primeira vez num festival independente e considerado por muitos o melhor momento do evento. Outros destaques foram a festa afrobaiana promovida pelo Afrocidade e as cirandas de Mestre Anderson Miguel, com direito a presença de um fã mirim vestido de caboclo, além do impacto causado por Amaro Freitas Trio, boa surpresa para quem não o conhecia.

 

Na primeira data, 6 de novembro, na Sala Principal do TCA, Tim Bernardes (SP), Tiganá Santana (BA) e Amaro Freitas Trio (PE) fizeram uma virtuosa noite intimista. No dia 7, na Arena do Sesc-Senac Pelourinho, foram os belos shows de Luiza Lian (SP) e Livia Nery (BA). O mesmo local recebeu, no dia 8, o “Processo criativo compartilhado: Papo Musicado”, com Tulipa Ruiz (SP), Josyara (BA) e novamente Livia Nery, tocando e falando de suas obras, numa conversa mediada pela radialista Daniela Souza e com intervenções do público.

 

h

Lazzo Matumbi / Foto: Rafael Passos




No final de semana, 9 e 10 de novembro, a grande festa aconteceu. A Chácara Baluarte, com dois palcos montados, acolheu, no sábado, João Donato (AC) e Tulipa Ruiz (SP), Afrocidade (BA), Tuyo (PR), Mestre Anderson Miguel (PE) – com participação de Siba (PE) – e Tangolo Mangos (BA). No domingo, foi a vez de Céu (SP), Lazzo Matumbi (BA), Dônica (RJ), Illy (BA), Abayomy (RJ) – com participação de Saulo Duarte (PA) – e Jessica Caitano (PE).

 

Na ambientação do espaço da Chácara, a Feira Pedra Papel Tesouro (PPT) ofereceu stands de arte, paisagismo, impressos e moda. O evento também teve feira de vinil, praça de alimentação, bares e espaços de convívio. Ainda foi montada a Rádio Tropical Transforma, num estúdio em que entrevistas ao vivo puderam ser vistas e ouvidas por todos os presentes, nos intervalos dos shows, com artistas da grade e outros convidados.

 

A Rádio Educadora FM Bahia e a Rádio Nacional fizeram transmissão dos shows, tanto via rádio quanto em internet, possibilitando a audiência de ouvintes no estado e em todo o mundo. Mais de 15,5 mil seguidores na página do Radioca no Instagram e 10,7 mil no Facebook acompanharam registros em tempo real, enquanto o perfil no Spotify ultrapassou 1,7 mil inscritos para escutar, inclusive, playlists especialmente criadas pelos próprios artistas.

 

Em paralelo, uma programação de atividades de formação também foi realizada: no dia 6, a “Masterclass Spotify”, com Carolina Alzuguir, na Sala do Coro do TCA. No dia 9, dois bate-papos na Casa-Museu Solar Santo Antônio – “Tropical Transforma: Música pop, cultura urbana e identidade”, reunindo Coy Freitas, Gabriel D’Angelo Braz, Dai Dias e Patricktor4; e “Promoção no atual mercado da música: Feiras, mercado internacional e caminhos possíveis”, com Melina Hickson, Ricardo Rodrigues e Vince de Mira.

 

Cerca de 600 empregos temporários foram gerados, entre profissionais de produção, palco, técnica, arquitetura, cenografia, recepção, atividades promocionais, comunicação, fotografia, vídeo, bilheteria, segurança, limpeza, bar, dentre outros.

 

Atraindo investimento de empresas nacionais e injetando recursos na economia da cultura da Bahia, o 5º Festival Radioca, realizado pela Tropicasa Produções, foi patrocinado e apresentado pela Puro Malte Tropical Devassa. Teve patrocínio de Natura Musical e Governo do Estado, através do Fazcultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia. Contou com a Sympla como plataforma oficial de vendas e com o Spotify como Player Oficial.



f

Céu / Foto: Rafael Passos



FAZCULTURA – Parceria entre a SecultBA e a Secretaria da Fazenda (Sefaz), o mecanismo integra o Sistema Estadual de Fomento à Cultura, composto também pelo Fundo de Cultura da Bahia (FCBA). O objetivo é promover ações de patrocínio cultural por meio de renúncia fiscal, contribuindo para estimular o desenvolvimento cultural da Bahia, ao tempo em que possibilita às empresas patrocinadoras associar sua imagem diretamente às ações culturais que considerem mais adequadas, levando em consideração que esse tipo de patrocínio conta atualmente com um expressivo apoio da opinião pública.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.