Artes

21/01/2020 16:00

Exposição fotográfica de Jomar Lima é reaberta no Pelourinho

a
Foto: Jomar Lima

A exposição Afro Barroco, do fotógrafo Jomar Lima, volta em cartaz ao Foyer Lina Bo Bardi, na sede do Centro de Culturas Populares e Identitárias - Casa 12, Largo do Pelourinho. Aberta ao público, a mostra pode ser visitada até 19 de fevereiro, segunda a sexta-feira, de 9h às 12h e 14h às 17h.

O ensaio fotográfico de Jomar reflete a atualidade vivida dentro de uma cidade secular que preserva elementos seculares também. Realizado na Ordem Terceira do Carmo, uma capela cuja decoração é inteiramente adornada com talha dourada e azulejos portugueses que ditam passagens bíblicas. Sua arquitetura interna obedece ao estilo barroco conhecido como Dom João V, verifica-se uma transição entre o barroco e o rococó. É neste cenário católico do século XVII que os rituais do Candomblé também acontecem. Vivas estão nesse lugar duas memórias ancestrais: uma que subjugou o povo africano e a outra, a resistência e soberania desse mesmo povo.

Jomar Lima reflete a atualidade vivida dentro de uma cidade secular que preserva elementos seculares também."Foram mais de 20 anos registrando esse ritual praticado pelo povo de Santo, dos terreiros do Recôncavo, em sua caminhada até à Igreja do Carmo para pedir a bênção ao Senhor dos Passos, que é Oxalá no candomblé. A importância em trazer este trabalho para o Pelourinho está em mostrar a tradição e resistência deste povo junto aos rituais", explica o fotógrafo.

As imagens são significativas, pois revelam a potencialidade de um momento que pode até ser escrito, mas com raríssimas exceções será visualidade em sua plenitude. Em pleno século XXI, o que encontramos na arte de Jomar Lima não é um simples registro. É uma metalinguagem, pois há neste ensaio o barroco (arquitetura) dentro do barroco (ação).

O Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI) da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) é responsável pela execução, proteção e promoção das políticas públicas de valorização e fortalecimento das manifestações populares e de identidade, orientadas de acordo com o pensamento contemporâneo da Unesco e do Ministério da Cultura. Seu campo de atuação contempla a cultura do sertão, de matrizes africanas, ciganas e indígenas, LGBTQI+, infância e idosos. Coordena o projeto Pelô da Bahia, responsável pela programação artística dos largos do Pelourinho e suas grandes festas populares.


Serviço

Exposição Afro Barroco
Visitação: 21 de janeiro a 19 de fevereiro de 2020, segunda a sexta-feira, 9h-12h e 14h-17h
Gratuito
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.