Fundo de Cultura

31/03/2021 15:10

Projeto apoiado pela Secult continua ativo após período de execução

s

O projeto Convênio Cultural Ciclorama, contemplado no Edital Setorial de Economia Criativa 2016 da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), continua gerando frutos. Com o objetivo de promover o acesso dos estudantes a atividades culturais monitoradas, como museus, cinemas, teatros e apresentações musicais, a iniciativa recebeu um investimento de R$ 120.452,00 do Governo do Estado, por meio do Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA).

No período de execução, 15 escolas privadas de pequeno e médio porte de Salvador aderiram ao projeto e mais de 1.500 alunos participaram das atividades artísticas planejadas. Após a experiência inicial, a iniciativa foi reformulada, passando a se chamar Cicloramaah e incluindo também alunos de escolas da rede pública.

Em 2019, a SeculBa entrou em contato com a proponente Mariana Passos, com o intuito de acompanhar a continuidade da ação. A partir da conversa, surgiram conexões e um investidor. “Recebemos um aporte financeiro no começo do 2020 para rodarmos a versão mais estruturada, que previa além de saídas extraclasses, ações lúdicas in loco e acompanhamento para a família. Nosso primeiro evento seria dia 23 de março, mas dia 18 foi decretado o lockdown em Salvador. A primeira coisa que passou na nossa cabeça foram nossos clientes, conhecemos a realidade das escolas periféricas, de antemão sabíamos que não existia uma solução tecnológica considerando a realidade da periferia”, conta a idealizadora do projeto.

A dedicação e a expertise levaram Mariana a apostar no mundo digital em função das limitações impostas pela pandemia da Covid-19. Foi aí que surgiu a ideia de criar uma plataforma digital colaborativa de ensino baseada em microconteúdo, que foi lançada em 1º de março de 2021 e está disponível para o público através do endereço www.cicloramaah.com.

A plataforma está aceitando inscrições de escolas que queiram utilizar o ambiente digital de aprendizagem que será disponibilizado a partir de abril. “Por isso, exalto sempre a importância do aporte na trajetória da Cicloramaah e a sensibilidade da Diretoria de Economia Criativa da Secult-BA para com o projeto” avaliou a proponente.

Além do projeto de Mariana, o Setorial de Economia Criativa 2016 contemplou outras 16 iniciativas voltadas para o desenvolvimento da dimensão econômica da cultura nas suas diferentes etapas dos ciclos de criação, produção, circulação, distribuição, consumo e fruição de bens e serviços gerados por segmentos criativos.  

Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA) – Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artístico-culturais baianas, o Fundo de Cultura é gerido pelas Secretarias da Cultura e da Fazenda. O mecanismo custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada. O FCBA está estruturado em 4 (quatro) linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação: Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; Eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Cultural e Editais Setoriais.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.