Escolas Culturais

dd

ESCOLAS CULTURAIS


Escolas devem ser ambiente de FORMAÇÃO DE PESSOAS. Lugar do acesso à educação formal, capaz de oferecer a crianças e jovens conhecimentos fundamentais para a vida em sociedade. Lugar também de convivência, integração e coletividade, onde se reconheça que, para além de saber, é preciso praticar.

Entre o que se ensina e o que se aprende, algo sempre deve nascer e persistir: para além de fatos, fórmulas e regras, estão a consciência, a identidade, a autoestima, o pertencimento, o posicionamento, a opinião e a atitude. Educação de qualidade é fundamental. Educação que se encontra com a potência da cultura é TRANSFORMAÇÃO.

A ESCOLA CULTURAL SE COMPROMETE COM O EXERCÍCIO DA CIDADANIA

O programa Escolas Culturais é uma nova iniciativa da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), conjuntamente com a Secretaria da Educação (SEC) e a Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), que prevê a dinamização de escolas públicas estaduais por meio do apoio a programações culturais, produzidas e realizadas pelas comunidades locais, em torno do ambiente escolar. Sua concepção investe na interseção destes campos: o mais profícuo combustível da cidadania está no encontro da cultura com a educação, a justiça, os direitos humanos e o desenvolvimento social. A união destas forças, imensas em si e gigantescas em articulação, reage então a desafios sociais que vêm sendo enfrentados na Bahia nos últimos anos e que prezam pela inclusão e melhoria da qualidade de vida dos baianos.

No Brasil, a Constituição Federal coloca os direitos culturais na categoria de direitos humanos fundamentais. A realidade, no entanto, é de um país que ainda enfrenta baixos índices de acesso à cultura. O Escolas Culturais propõe uma resposta ágil e, ao mesmo tempo, estruturante e contínua, a esta problemática. E onde mais as dificuldades se revelam, mais as escolas podem ser estopim de novas experiências.

SOCIEDADE ENVOLVIDA
A coordenação local nas escolas em todo o estado será feita por um Professor Coordenador ao lado de dois estudantes líderes de classe, eleitos pela própria comunidade escolar. Juntos, eles formarão um núcleo intitulado Núcleo de Arte e Cultura, que terá suporte dos Representantes Territoriais da Cultura (RTCs), que são servidores da SecultBA distribuídos nos territórios baianos.

Todos os participantes dos Núcleos de Arte e Cultura vão percorrer um Curso de Formação em Política e Gestão Culturais, com 110 horas-aula, durante um ano. Serão compartilhados métodos, técnicas e ferramentas para aplicar com as comunidades e fazer a cultura se multiplicar.

Para propor, intervir, aproveitar, basta procurar o Núcleo de Arte e Cultura da escola e se fazer presente em cursos, reuniões e eventos. Quanto mais participação, melhores resultados!

RESPONSABILIDADES PRINCIPAIS DO NÚCLEO DE ARTE E CULTURA

• Fazer levantamento das atividades artísticas e culturais já desenvolvidas pelos estudantes e pela escola;
• Mapear as expressões culturais e artísticas da comunidade onde a escola está inserida;
• Participar do Curso de Formação em Política e Gestão Culturais;
• Participar de encontros e reuniões;
• Elaborar e apresentar às secretarias uma programação de atividades culturais;
• Receber e gerir produtos e recursos para a execução da programação cultural;
• Engajar a comunidade e o público para participar das atividades;
• Vincular o projeto pedagógico à programação dos espaços culturais geridos pela SecultBA, onde houver;
• Apresentar relatório semestral sobre as atividades, resultados e perspectivas.

TODO APOIO NECESSÁRIO

Para realizar as atividades, a escola recebe um sistema de sustentação:
• Apoio institucional: todo suporte e orientação da SecultBA, da SEC e da SJDHDS.
• Recursos humanos: professores, técnicos, palestrantes, dançarinos, músicos, artistas etc., para apoiar as atividades da comunidade, ministrar cursos, formações ou participar das programações.
• Recursos materiais: um kit multimídia com telão, projetor, notebook, máquina fotográfica, filmes, livros, convites para shows etc., para uso da comunidade escolar.
• Recursos financeiros: para utilizar na realização de atividades culturais da comunidade escolar, custeando cachês, figurinos, instrumentos, transporte etc.
• Capacitação: cursos, participação em fóruns e formação específica em Políticas e Gestão Culturais para aprender a planejar, mapear, fazer curadoria, elaborar projetos culturais, produzir espetáculos, captar recursos etc.
Recomendar esta página via e-mail: