Cultura

11/08/2017 17:10

#Flipelô - Biblioteca Móvel já reuniu mais de 1000 pessoas no Terreiro de Jesus

s
Foto: Jonatas Almeida

A Flipelô já começou e, no Terreiro de Jesus, a Biblioteca Móvel foi o grande destaque da Fundação Pedro Calmon na Festa! Mais de 1000 pessoas já passaram pela unidade, que já recebeu 10 atividades literárias e artísticas em torno da leitura e dos livros. Já passaram por lá, a escritora Maria Izabel Muller, que apresentou seu livro “Os contos de fadas na realidade Afro-baiana”, contou algumas das histórias e autografou livros para o público (veja vídeo aqui).

O primeiro dia também foi de Teatro, com a Cia de Teatro Cabriola, que levou ao público de estudantes e professores uma apresentação cênico–musical, divertindo e encantando os presentes. A apresentação representou um marco para a Cia, pois faz parte das comemorações dos 10 anos do grupo. Antes, o público fez um tour pela estrutura da Biblioteca Móvel, onde muitos tiveram a oportunidade de poder ver pela primeira vez livros escritos em Braille, por exemplo.

“Apresentações como essa mostram o quão importante é a Literatura e incentiva a leitura”, disse a estudante do Centro Integrado Educandário Pedacinho do Céu, Samantha Oliveira. Para Matheus Costa, estudante da mesma escola, a apresentação mostrou muita interação. “Gostei muito da criatividade deles e da interação que fizeram com o público. Eles mostraram a cultura do nosso país”, disse. A atividade envolveu também os mais velhos. “Foi uma oportunidade de me divertir, “gosto de teatro, essas apresentações são importantes, principalmente para nós da terceira idade, pois nos fazem exercitar a memória”, disse Delzuita de Jesus.

Para a professora, Josemeire de Jesus, que acompanhou os jovens do Projeto Axé durante a apresentação no Terreiro de Jesus, foi bom vê-los engajados com o Teatro e a Cultura. “Todas as comunidades deveriam ter Bibliotecas como essa”, disse.

s
Foto: Jonatas Almeida

Feira Fantástica de Histórias


Com referências de feiras livres e de camelôs, a contadora de histórias Danielle Andrade apresentou a Feira de Histórias Fantásticas na Biblioteca Móvel, na manhã desta sexta-feira (11) com crianças do Projeto Axé e famílias transeuntes da Festa.

O contador Marcos Antônio Santos levou seu filho Leo Marcos de 7 anos, e a filha Maria Eduarda de 14, para a Festa. “É um evento muito interessante, achei bem aberto ao público e de fácil localização, pois todo mundo conhece o Pelourinho. É cultura boa e acessível para todos”, ele enfatizou. A estudante Michele Gomes estava passando no Terreiro de Jesus e resolveu parar para ouvir a história: “Essa iniciativa é muito importante porque leva arte para as crianças, principalmente para aquelas que fazem parte das minorias. É uma forma de entretenimento muito válida para expandir o acesso à cultura”.


Antes de ouvir a contação de histórias, os pequenos jogaram jogo da memória, xadrez, fizeram desenhos e participaram de muitas brincadeiras com o Palhaço Pimentinha. Cleverson de Jesus, 11, disse com entusiasmo: “eu achei ótimo! Foi muito divertido, as brincadeiras, as histórias”. Já Esthefanie Cerqueira, 10 anos, gostou mesmo foi da história: “ela contou a história de uma forma que a gente não conseguia parar de olhar, a gente queria que chegasse logo ao final, mas não queria que acabasse. Eu adorei”.


A pedagoga e contadora de histórias Maria José Matos também elogiou a iniciativa: “a criança tem oportunidade de ouvir história em um lugar aberto, o que é muito diferente, além de ser um lugar histórico. O que foi feito aqui hoje, essa ludicidade, encantamento, magia, fica inerente nessas crianças, traz de volta a sensibilidade que as pessoas têm perdido com o passar do tempo. Ela se torna um adulto equilibrado e se incomoda com o que é cruel no mundo”.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.