Artes

11/01/2019 11:00

MAM inicia comemorações dos 60 anos com duas exposições

g
Obra Aurelino / Foto: Andrew Kemp

O Museu de Arte Moderna da Bahia, em parceria com a Paulo Darzé Galeria, expõe cerca de 70 obras do artista baiano Aurelino dos Santos. O pintor autodidata, que já teve suas obras expostas em mostras internacionais como Paris, Madri e Valencia, dará cor às paredes do Casarão do Museu, onde a Escada de Lina Bo Bardi, sua incentivadora, brilha em exposição permanente. Já a exposição VÉRTICE reúne o trabalho de 19 artistas visuais renomados na capela da MAM. Iniciando as comemorações dos 60 anos do museu, as exposições serão abertas ao público na próxima terça-feira, 15 de janeiro, às 19h. O MAM é vinculado ao Instituto do Patrimônio Artístico e Cultura (IPAC), autarquia da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA).

Aurelino dos Santos - A Letra é que faz o mundo – Aurelino é um artista que iniciou suas atividades de pintor nos anos 60. Já então, produzia uma pintura grafada por uma profusão de signos, justapostos numa paleta cromática, de tons rebaixados. Tudo pensado para lograr um resultado harmonioso. A sua condição de ex-cobrador de ônibus, o convívio diário com pessoas diversas, parece ter sido a fonte de inspiração desses signos.

Migrou para São Paulo, lá, foi agenciado por nada menos que Pietro Maria Bardi, diretor do MASP e marido de Lina Bo Bardi. Por ter-se acometido de transtornos de ordem psíquicas, Aurelino retornou para Salvador onde por décadas, construiu uma obra com uma escrita de um mundo, que a despeito da sua “loucura” tocou em questões universais. “Hoje, a crítica especializada, o menciona como autor de uma obra das mais vanguardistas do Brasil”.

Exposição VÉRTICE – O nome da exposição faz referência à verticalidade das paredes da capela do MAM, cumprindo a sua função de fomentar e difundir as artes visuais da Bahia, essa mostra acontecerá no período em que o MAM recebe, cerca de 60 mil visitantes que em sua maioria são turistas que vêm recomendados para conhecer o mais importante equipamento de Arte do Governo da Bahia.

O seu conjunto arquitetônico, restaurado pela extraordinária Lina Bo Bardi, juntamente com a escada, também criação de Lina, se somam ao interesse pela coleção de Obras do Acervo do MAM e pela sua história, mundialmente conhecida. No ano em que o MAM comemora 60 anos, o museu a homenageará.

Participam dessa coletiva os artistas visuais: Almandrade; Bel Borba; Caetano Dias; Edson da Luz; Emanoel Araújo; Florival Oliveira; Guache Marques; Ieda Oliveira; J. Cunha; Juarez Paraiso; Juraci Dórea; Márcia Magno; Maxim Malhado; Nadia Taquary; Paulo Pereira; Sérgio Rabinovitz; Vauluizo Bezerra; Zivé Giudice e Walter Lima.

Serviço

Abertura da exposição: "Aurelino dos Santos - A Letra é que faz o mundo "

Quando: 15 de Janeiro (terça) às 19h
Onde: Casarão do MAM
Entrada gratuita
Funcionamento do Casarão do Museu de terça-feira a sábado, das 13h às 18h

Abertura da exposição: VÉRTICE
Quando: 15 de Janeiro (terça) às 19h
Onde: Capela do MAM
Entrada gratuita
Funcionamento da Capela do Museu de terça-feira a sábado, das 13h às 18h.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.