Cultura

17/05/2019 16:20

Circuito Luiz Orlando de Exibição já alcançou mais de 1.600 espectadores no segundo ciclo

g
Foto: ASCOM/FUNCEB


Promovido pela Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), órgão da Secretaria de Cultura da Bahia (SecultBA), através da Diretoria de Audiovisual (DIMAS), o segundo ciclo do Circuito Luiz Orlando de Exibição Audiovisual já alcançou 1.645 espectadores em 16 municípios baianos. Nesta edição, o projeto exibe o longa metragem baiano Café com Canela, de Glenda Nicácio e Ary Rosa.

O segundo ciclo teve início no dia 16 de abril de 2019, nos municípios de Barra, Rodelas e Santo Antônio de Jesus. Outros destaques desta edição são os municípios: Nova Canãa (com 304 participantes); Santana (215); Abaré (143); Ribeira do Pombal (134); Caetité (120); Bom Jesus da Lapa (107); Itamaraju (104); Ipirá (77), Eunápolis (70), dentre outras.  A ação tem envolvido estudantes de escolas públicas, por meio da parceria com o projeto Escolas Culturais, do Governo do Estado.

Rodado no Recôncavo baiano, o longa Café com Canela é marcado por representatividades negras. O enredo do filme conta o reencontro de suas mulheres com vidas marcadas pelo luto, além de abordar aspectos diversos como ancestralidade, machismo e homofobia.

O primeiro ciclo de exibições do Circuito Luiz Orlando de Exibição Audiovisual aconteceu de novembro de 2018 a março deste ano, e alcançou mais de 4 mil pessoas em 85 municípios baianos.  O filme escolhido para a primeira etapa foi o documentário “1798: Revolta dos Búzios”, de Antonio Olavo, que fala sobre o quase desconhecido levante dos negros baianos, que marcou a luta pela independência, pelo fim da escravidão, e por igualdade racial e social.

Café com Canela – O longa-metragem baiano Café com Canela já foi exibido em festivais nacionais e internacionais. A direção é de uma mulher negra e a história gira em torno do reencontro de Margarida, que vive em São Félix, isolada pela dor da perda do filho, e Violeta, que mora em Cachoeira, e vive as adversidades do dia a dia e os traumas do passado.

Serão exibidos pelo Circuito até o final deste ano os filmes Jonas e o Circo sem Lona (Paula Gomes); Mokambo (Soraya Mesquita); É proibido menino calçado entrar na escola (Edson Bastos e Henrique Filho), Média Metragem: a Professora de Música (Edson Bastos e Henrique Filho) e Quilombo Rio dos Macacos (Josias Pires). 

O Projeto Escolas Culturais é uma ação do Governo do Estado, desenvolvida por meio da iniciativa interinstitucional entre as secretarias de Educação (SEC), da Cultura (Secult) e da Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), com a participação na gestão do Instituto de Ação Social Pela Música – IASPM.

Serviço

2º Ciclo do Circuito Luiz Orlando de Exibição Audiovisual

Quando: até maio de 2019
Exibição: Café com Canela - de Glenda Nicácio e Ary Rosa
Gratuito
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.