Leitura e Memória

14/06/2019 09:00

Livro aborda estratégias de sustentabilidade de selos musicais

 m
Foto: Milena Palladino

O projeto I Encontro de Selos de Música Experimental - Tecnologias sustentáveis para a Música Móvel, contemplado no Edital Setorial de Economia Criativa da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), lançou o e-book “Desobediência sonora: selos de música experimental e suas tecnologias de sustentabilidade”. O livro, publicado este ano pela Editora da Universidade Federal da Bahia (Edufba), faz parte dos resultados do projeto e apresenta estratégias e práticas para sustentabilidade dos selos musicais. A publicação pode ser acessada gratuitamente no link: http://esmeril.ufba.br/e-book/

Proposta pelo pesquisador Cristiano Figueiró, a inciativa recebeu investimento do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA). O intuito foi promover a reflexão coletiva sobre a economia da música experimental, por meio do desenvolvimento de um aplicativo em software livre para criação e compartilhamento de música em formato aberto, e da realização de um encontro de selos de música experimental com debates sobre economia criativa, sessões de gravação, oficinas e shows abertos ao público.

Etapas – O projeto foi realizado em três fases. A primeira delas foi voltada para o desenvolvimento do aplicativo e contou com a participação de uma equipe experiente em pesquisa de tecnologia aplicada a música. No segundo momento, foi realizado o encontro de selos com convidados de diversos estados brasileiros, como Isabel Nogueira (RS), Yuri Bruscky (PE), Sanannda Acácia (RJ) e  João Millet Meireles (BA), além de articuladores locais, realizando atividades internas de debate, sessões de gravação e laboratório de tecnologias, paralelo a atividades externas de oficina e shows abertos ao público. Já na última fase foram publicados os resultados, redigidos os relatórios e realizada a prestação de contas.

Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA) – Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artístico-culturais baianas, o Fundo de Cultura é gerido pelas Secretarias da Cultura e da Fazenda. O mecanismo custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada. O FCBA está estruturado em 4 (quatro) linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação:Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; Eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Cultural e Editais Setoriais.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.