Artes

04/12/2019 17:50

Samba homenageia Santa Bárbara no Pelourinho

g
Jorginho Commancheiro / Foto: Lucas Rosário  ASCOM SECULTBA


As ruas do Centro Histórico de Salvador permaneceram cobertas de vermelho e branco, na tarde desta quarta-feira (04). Neste dia, uma multidão de diversas religiões, culturas e nacionalidades se concentrou no Largo do Pelourinho para participar da Festa de Santa Bárbara, Patrimônio Imaterial da Bahia e que marca o início da temporada de festejos populares no estado.

A programação foi iniciada pela manhã com uma alvorada de fogos e missa na Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, seguida de uma procissão do Centro Histórico até a Baixa dos Sapateiros. À tarde, como também já é tradição, a programação contou com várias apresentações, tendo o samba como ritmo principal, que se estenderam até a noite, para homenagear a Santa com muita música, alegria e dança.  O Largo Pedro Archanjo recebeu o grupo Pagode da Urna, seguido de Adonay e Grupo Samba Paraguaçu e do samba do Burungudum.

No Largo do Pelourinho, o cantor, carnavalesco e devoto, Jorginho Comancheiro saudou Santa Bárbara com um repertório repleto de músicas conhecidas do público, como Revolta Olodum, Faraó Divindade do Egito e Não deixe o samba morrer. Em seguida, foi a vez da Banda Tambores e Cores fazer a animação do evento, também com músicas baianas como Ellegibo. A programação ainda continua à noite com Samba de Oyá, a partir das 18h, e Gal do Beco, às 20h, no mesmo espaço.

Os blocos Samba Fogueirão e Samba Jaké comandam a festa no Largo Tereza Batista desde as 16h, com participações de Alan Dudu e Neivaldo do Tchaco. Já o Largo Quincas Berro d’Água recebeu o Samba de Nego, e neste final de tarde o ensaio do Bloco Afro Ókánbi.


A Festa de Santa Bárbara é realizada pela Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, em parceria com o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (Ipac) e o Centro de Culturas Populares e Identitárias da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (CCPI/SecultBA).


Patrimônio Imaterial da Bahia – A festa de Santa Bábara é celebrada há mais de 200 anos, tendo sido o culto à Santa iniciado há quase 380 anos. O evento é registrado como Patrimônio Imaterial da Bahia em 2008, através do Decreto nº 11.353/08, por reunir valores culturais singulares, com destaque às celebrações da fé católica e das religiões de matriz africana. Os técnicos do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC), órgão da SecultBA, iniciaram o estudo de reavaliação para a revalidação do Registro Especial da festa, conforme exigido por lei, em dezembro de 2015, quando a celebração contava com mais de cinco anos de sua patrimonialização. A investigação, concluída em 2017, mostrou que a Festa de Santa Bárbara no Pelourinho permanece com as características que mantêm viva a tradição e devoção à Santa, com manifestações de fé, paz, alegria, união e tolerância.


Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI) – O CCPI da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) é responsável pela execução, proteção e promoção das políticas públicas de valorização e fortalecimento das manifestações populares e de identidade, orientadas de acordo com o pensamento contemporâneo da Unesco e do Ministério da Cultura. Seu campo de atuação contempla a cultura do sertão, de matrizes africanas, ciganas e indígenas, LGBTQI+, infância e idosos. Coordena o projeto Pelô da Bahia, responsável pela programação artística dos largos do Pelourinho e suas grandes festas populares.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.